Quaresma – Tempo de arrependimento

Estaremos todos perante o tribunal de Cristo que dará a cada qual, segundo o que tiver feito por seu corpo em bem ou em mal  –  II Cor. 5,10 

 

Deus, a bondade por excelência, não deixaria a nós, Homens de natureza decaída e propensos ao pecado sem uma segunda oportunidade de alcançarmos um dia vê-lo face a face no céu. Para isso, criou ele o lugar de purificação, destinado aos que morreram em estado de graça, porém não tendo pago completamente pela ofensa feita a Deus.

O Purgatório é o sinal da grande misericórdia de Deus e sua prontidão para perdoar. É a manifestação de sua vontade de que todos os Homens alcancem a glória eterna.

No céu, lugar da presença de Deus por excelência, não pode-se entrar quem ainda deva lavar-se da mancha do pecado ou quem ainda não tenha pago nesta Terra, a dívida da ofensa feita a Deus, por meio da penitência devida. No céu, nada de impuro entrará.

Temos a garantia da existência desse lugar de purificação, afirmado pelo próprio Nosso Senhor Jesus Cristo e confirmado pela Santa Igreja. A prisão onde a alma padece até que se pague o último centavo da sua dívida com Deus (Mt 5, 25-26)

Não se pode entretanto levar uma vida aqui neste mundo esquecido de Deus e da observação dos mandamentos, contando com a misericórdia dEle no outro, com o Purgatório. É preciso praticar fielmente a fé católica nesta vida para, dando glória a Deus desde este mundo, alcançar de imediato dar glória a Ele no céu face a face. É por isso que nos Evangelhos, Nosso Senhor Jesus Cristo nos convida frequentemente à conversão, mudança de vida completa. É preciso buscar salvar-se já aqui em baixo por uma vida cristã, vida de amor a Deus e penitências.

Neste período da Quaresma, novamente a Santa Igreja vem nos apontar esse convite de Nosso Senhor Jesus Cristo para uma conversão e vida santa, a fim de que, de alma limpa, possamos dar claro testemunho nesta vida e glória a Deus no céu.

O primeiro passo para uma reconciliação com Deus e mudança completa de vida é o reconhecimento da própria debilidade e dos próprios pecados, seguidos do arrependimento sincero. Com esses propósitos, na confissão bem feita, Deus lava a almas das marcas do pecado, tratando-a como filha arrependida que deseja uma reconciliação por amor à Ele, por que deseja ardentemente dar testemunho de uma vida autenticamente católica, piedosa.

Neste período de reflexão que é a Quaresma, onde a mudança de vida é tantas vezes apontada pela Santa Igreja como meditação principal, ela também nos convida com igual frequência a uma reconciliação com Deus por meio do sacramento da confissão. Confissão bem feita e com frutos é aquela em que nos preparamos de antemão, com uma séria reflexão e um bom exame de consciência, para compreendermos a profundidade do amor de Deus e da gravidade do nosso pecado.

 

Aqui remetemos a um modelo de exame de consciência para se preparar para a confissão

http://www.purgatorio.net.br/2016/02/14/quaresma-outro-exame-de-consciencia-para-confissao/

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: