Curso sobre o Purgatório: 14ª Aula – Como as Almas do Purgatório obtiveram a cura da má memória do Beato Pio IX

By Fratelli D’Alessandri (scan) [Public domain], via Wikimedia Commons

O bem-aventurado pontífice Pio IX designou a um santo e prudente religioso, chamado Tomás, como bispo de uma diocese. O sacerdote, alarmado pela responsabilidade posta sobre ele, começou encarecidamente a desculpar-se. Seus protestos foram em vão. O Santo Padre sabia de seus méritos. Agoniado pela apreensão, o humilde religioso solicitou uma audiência com o Papa e confessou que tinha má memória, o que resultava ser um grave impedimento para exercer o ofício que lhe fora recomendado.

Pio IX respondeu com um sorriso “sua diocese é muito pequena em comparação com a Igreja Universal, a qual levo sobre meus ombros. Teus cuidados são leves em comparação com os meus.” E agregou: “eu também sofria um grave defeito de memória, porém prometi dizer uma oração fervorosa pelas almas benditas, as quais, em retribuição, tem obtido para mim uma excelente memória. O senhor deveria fazer o mesmo, estimado padre, e terá em que regozijar-se.

Fonte: Léeme ou Laméntalo, por Padre Paul O’Sullivan (opúsculo sobre as almas do purgatório).

Veja também: 13ª Aula – As Almas Benditas colaboraram para a conversão de um dos maiores criminosos da Itália

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: